Sessão de encerramento da Formação para Cuidadores Formais

No dia 22 de outubro de 2021, decorreu a sessão de encerramento da formação para cuidadores formais, no salão da Igreja de São Jorge de Arroios. Em parceria com a Fundação Johnson & Johnson, a Formação para Cuidadores Informais é fruto do projeto «Cuidadores: formal e familiar/informal» que tem como objetivo a melhoria da qualidade da vida dos seniores, através da capacitação dos cuidadores formais e informais.

Esta Formação teve início no dia 17 de maio, contando, no seu termo, com 17 cuidadores formais que trabalham em diferentes instituições com resposta de centro de dia e serviço de apoio domiciliário. Pretendeu-se reforçar e/ou capacitar estes cuidadores em seis grandes temáticas: autonomia e funcionalidade; alimentação e nutrição; comunicação e relação no cuidar, trabalho e envelhecimento, participação e cidadania e aprendizagem ao longo da vida, assim como testar os materiais desenvolvidos por especialistas, entidade formadora e conselho consultivo da Fundação.

Para além de pretender que os cuidados prestados por estes cuidadores tenham cada vez mais a adoção de uma abordagem centrada na pessoa sénior, dá especial enfase à necessidade de autocuidado.

Nesta sessão de encerramento estiveram presentes cuidadores formais, formadores e o Sr. Padre Paulo, responsável pela Igreja de São Jorge de Arroios, que acolheu estes dois grupos de formação durante 5 meses. Teve um momento de convívio entre os vários participantes, e depois um momento de balanço com a equipa da área temática Seniores da Fundação.

Exposição Linha Imaginária

A Fundação Aga Khan Portugal, em parceria com a Câmara Municipal de Sintra, volta a ocupar o MU.SA – Museu das Artes de Sintra, depois do sucesso da exposição «Silêncio no Lugar Presente», em 2020, surgindo, agora, com uma renovada proposta em torno da produção artística enquanto representação cosmopolita do concelho com a exposição Linha Imaginária.

A periferia é um grande corpo narrativo que encontra nas artes urbanas os meios de expressão de valores e verdades que marcam o aglomerado de vivências que constituem o quotidiano das suas ruas. É nela que se vive nesta imanência da criação, nesta emergência que contesta a Linha Imaginária que pode isolar e circunscrever os espaços – seja em geografias ou em acessos – e reclama para si o lugar de protagonismo, o lugar de fala.

Nascida como rutura, a arte produzida a partir da periferia urbana é plural, ousada, bela e efémera; vive no anonimato e reinventa para si os lugares de exposição. Uma arte que cresce e se diversifica no traço do desenho, na intervenção da letra, nas imagens que captam e se apropriam de muros, telas, comboios e caminhos, numa linha imaginária que converge a partir da margem e a desloca para outra centralidade.

A Linha Imaginária, enquanto exposição coletiva, reúne as criações de mais de duas dezenas de artistas. As suas artes estão imbuídas de uma urbanidade que com ela dialogam, contestando-a e renovando-a através do seu discurso artístico. A exposição contará com trabalhos de Adilson Monteiro, Blac Dwelle, C Marie, Carlos Stock, Diogo Carvalho, Diogo Ferreira, Fidel Évora, Filipa Bossuet, Inês Santos, Julia Blochtein, Kapulana San, Lukanu Mpasy, Moami, Nastia Kazmina, Onun Trigueiros, Queragura, Rappepa Bedjo Tempo, Sepher Awk.

Perfil do Cuidador Familiar/Informal da Pessoa Sénior

A Fundação Aga Khan Portugal desenvolveu um estudo sobre o «Perfil do Cuidador Familiar/Informal da Pessoa Sénior», cuja implementação e coordenação científica foi assegurada pelo Centro de Administração e Políticas Públicas CAPP/ISCSP da Universidade de Lisboa.
Decorre no próximo dia 6 de outubro, pelas 10:00, online, a apresentação pública deste estudo.
Participação através deste link.